sábado, fevereiro 14, 2009

O tempero do Chile

(em homenagem a Deka, que adora um tempero)

A Bahia tem a pimenta. A Itália, o manjericão. No sul se usa o alecrim. E o Chile inventou o uso do cominho, eu acho. É impressionante. Em tudo tem cominho. Penso que o objetivo dos Chilenos é substituir o sal pelo cominho. É um tempero que antes até eu gostava, combinado com outras coisas, mas agora, já estou começando a enjoar. Nas empanadas, na sopa, no assado, nas batatas, enfim, em tudo se coloca cominho. Tenho medo de quando chegar o dia em que eles decidirem colocar o cominho nas coisas doces, daí sim, ninguém vai poder com a vida. O problema do cominho é que ele é um tempero que tem um sabor característico, que toma conta de todos os outros gostos, caso se coloque em excesso. Adeus sabor da cebola, do pimentação e de tudo mais. Em culinária e na vida, o exagero é um desastre para o sabor.



Para quem desconhece, Cominho


Sempre fui muito ligado aos gostos. Como dizem os entendidos de comida, o sal salga, o que dá gosto são os condimentos, temperos e a mão do cozinheiro. A vida também é feita desses sabores, desses gostos, que no dia a dia nós encontramos por aí. Gosto de coisas gostosas. Com sabores diferentes, raros. Não gosto da mesmice, do dia a dia. O cotidiano das coisas me aborrece e, por isso mesmo, tento sempre coisas novas. Novos sabores. Para os que me conhecem, sabem que adoro me aventurar pela cozinha. Fazer um risoto novo, uma comidinha gostosa, um assado diferente (ah, um assado). Mas tudo em grandíssima quantidade e com um tempero muito bom.

Nesse sentido, sou muito parecido com minha amiga Deka, que adora experimentar, provar e criar coisas novas. Lembro de nossas aventuras gastronômicas pela cidade de Santa Maria. Diferente do Beto, que gosta de comer bem e sempre nos mesmos lugares, a Deka ajudava a descobrir lugares novos, sabores novos e tudo mais. Até mesmo houve uma época quando andávamos de carro e com a Magda a tiracolo, tínhamos uma listinha de lugares onde se podia comer algo bom (tu lembra Deka?), então ficamos ali, início da noite, com a cadernetinha de lugares na mão, tentando ler na escuridão do carro. Lugar escolhido, era partir para o desespero. Pernil com abacaxi. Um peito-de-frango-com-bacon. Uma batata com catupiri. Um miau. Um Kibe. Hum... A minha sorte é que eu tenho uma digestão ótima (muito diferente do pobre do Alexandre). Enfim, falar de temperos é falar dessas coisas da vida, do que cada um carrega de mais saboroso: o humor, o carisma, a sensibilidade. Isso tudo, remexido e misturado tem um gosto ótimo. Recomendo servir quente.

5 idéias:

Deka Silva disse...

Ahhh se me lembro! Era divertido. Lembra no Maab (se escreve assim?), kibe o carro chefe, mas Marcelo queria bife e batata frita! KKKK
Magda na churrascaria e comia ALFACE com grão de bico e mais NADA! hehehe
Mas aqui em Salvador é a porquera do cominho, vermelhão (tudo tem esse troço) e cheiro verde, toma conta!Saudades do lombo com abacaxi (rosadinho...)

Deka Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Habylee disse...

abençoado seja teu estômago!!!

=D

segueteiro disse...

Pois é amigo falando de comida e falndo de amigos, lembro quando a gente ia na casa do Rodrigo e a mãe dele preparava pizzas para nós, saudades, eu pensava que a gente poderia continuar fazendo aquelas coisas, porém tomamos rumos diferentes, um dia a gente se encontra. abraço. Temperado.

Andri disse...

Querido :D

Lembrei do teu risoto delicioso (que minha mami n escute isso, mas foi o melhor que eu já comi! :P)

Logo estarás de volta ao tempero brasileiro, eu tb sinto falta! Beijooos